Cheques têm os dias contados

Os cheques têm os dias contados. A intenção do Banco de Portugal (BdP) é acabar com eles, à medida que forem sendo cada vez menos usados.

Ao contrário do que acontecerá em muitos países da área do euro em 2008, o BdP optou por não acabar já com os cheques, por considerar que os portugueses estão muito habituados a este tipo de pagamento. No entanto, a instituição vai aguardar que as pessoas percam, cada vez mais interesse nos cheques, que é o segundo meio de pagamento mais utilizado em Portugal.

O BdP está inclusivamente a tomar medidas no sentido de incentivar o fim do uso dos cheques, por considerar que o mesmo é dos meios de pagamento menos eficientes e seguros, anunciou na quarta-feira o administrador do banco central, Manuel Sebastião, durante a apresentação do estudo «Instrumentos de Pagamentos em Portugal, Custos e Benefícios».



Cheques à ordem são perigosos

Para já, o Banco de Portugal aconselha os portugueses a evitarem passar cheques à ordem, por potenciarem roubos, desvios e utilização ilegal dos mesmos.

O BdP está a preparar um conjunto de recomendações, onde, além de desaconselhar os cheques à ordem, recomenda os cheques traçados, com o nome do beneficiário preenchido e com a expressão «não à ordem» à frente do nome do destinatário, para que o beneficiário não possa endossar o cheque.

A actuação do Banco de Portugal não será apenas junto dos cidadãos, é também junto da Segurança Social e com o Fisco, com quem está a celebrar protocolos no sentido de os subsídios de doença e de desemprego e até os reembolsos do IRS serem pagos por transferência bancária e não por cheque.


Deixar um comentário